Prestação de contas do presidente do PT de Joinville, Adilson Mariano

domingo, 8 de junho de 2014

On 08:05 by Adilson Mariano
Olá, companheir@s

Na última reunião do diretório municipal (7/6) propus e o conjunto da direção aprovou duas importantes notas de apoio à classe trabalhadora. A primeira, diz respeito a nossa cidade, está aqui pertinho, é sobre a greve dos servidores de Joinville. A segunda está bem longe, é em apoio a companheiros ucranianos que estão sofrendo com a perseguição do verdadeiro fascismo e pedem ajuda ao mundo todo. A luta da classe trabalhadora é internacionalista. Desde o Manifesto do Partido Comunista o sabemos: "Proletários de todo o mundo, uni-vos!". Diante disso, pedimos às direções estadual e nacional do PT para que se manifestem sobre o tema. 

Seguem as notas:

Nota de apoio do PT de Joinville à greve dos servidores municipais

Os servidores municipais de Joinville estão em greve desde o dia 20 de maio de 2014. Estes trabalhadores decidiram pelo movimento após mais de dois meses da apresentação da pauta de reivindicações e tentativas de negociações entre o Sinsej e o governo.

Antes de deflagrarem o movimento, os servidores estavam em estado de greve. No dia 19 de maio, havia uma proposta de reajuste salarial apenas no valor da inflação. Além disso, não havia nenhuma proposta sobre o atendimento de saúde da categoria, concessão de vale-alimentação para todos os trabalhadores, progressão salarial por aperfeiçoamento e elevação do piso salarial do magistério, que são os eixos principais da Campanha Salarial 2014. Ao todo, a pauta construída pelos servidores em assembleia continha 70 itens, dentre os quais dois terços não tinham resposta no dia 19 de maio.

Diante disso, o movimento de greve foi deflagrado e o prefeito Udo Dohler (PMDB) manteve o mesmo posicionamento de não dialogar, abrindo uma forte campanha de mídia contra os trabalhadores e judicializando a greve. Um movimento de avanço foi feito apenas no décimo primeiro dia de greve, ainda muito tímido, propondo prazos para 2015. Na Justiça, o governo solicitou o retorno ao trabalho de 100% da saúde e educação e uma multa diária de R$ 50 mil. Na pratica, isso é uma tentativa clara de coibir o direito de greve.

O processo de judicializacao levado a cabo por Udo Döhler segue movimento nacional de criminalização de greves, de todo o movimento sindical, da juventude, da luta por terra, por moradia, do próprio Partido dos Trabalhadores em nível nacional etc.

O PT de Joinville coloca-se ao lado dos servidores municipais em greve e dirige-se ao prefeito Udo Döhler solicitando a reabertura das negociações, bem como a apresentação de uma proposta digna à categoria. O serviço público é muito importante para toda a comunidade e, para que seja restabelecido imediatamente, é necessário que a Prefeitura dialogue verdadeiramente com os trabalhadores. Repudiamos ainda a tentativa de criminalização da greve e defendemos o direito de os trabalhadores lutarem.




Solidariedade à luta antifascista na Ucrânia

Ao Diretório Estadual e Nacional do Partido dos Trabalhadores

Prezados companheiros e prezadas companheiras.

No mês de maio, uma trágica situação se desenvolve na Ucrânia. Bandos paramilitares fascistas, como bandos integrados ao Estado ou diretamente financiados pelas oligarquias, estão realizando ações de terror branco contra qualquer um que se oponha ao governo de plantão de Kiev.

No dia 20 de maio, bandos fascistas paramilitares tentaram sequestrar dirigentes do Borotba, tradicional organização de esquerda da Ucrânia, após uma manifestação popular contra o governo em praça pública e à luz do dia, e foram impedidos por participantes da manifestação.

No dia 16 de maio, a sede do Partido Comunista em Kiev foi invadida. Livros, bandeiras e materiais foram queimados. Ao mesmo tempo, também foram iniciados trâmites para proibir o Partido Comunista no parlamento (que obteve 2,7 milhões de votos na última eleição) e a disfarçada operação antiterrorista continua sendo realizada contra as províncias de Donetsk e Lugansk.

Nesta grave situação, o diretório municipal do PT de Joinville se solidariza e propõe que o PT Estadual e Nacional imediatamente se pronunciem através de todos os seus meios, em solidariedade à resistência antifascista na Ucrânia, bem como protestem nacional e internacionalmente contra esta situação.

Solidariedade aos antifascistas que lutam contra o governo e suportam os ataques mais graves da repressão!

Abaixo o antidemocrático e autoritário governo de Kiev (que inclui membros de extrema direita)!

Contra todos os ataques aos direitos democráticos na Ucrânia!




Reações: